Quantos seguidores do Twitter Blue Elon Musk ele precisa para compensar suas perdas

diz Elon Musk O Twitter está perdendo US$ 4 milhões todos os dias e está disposto a tentar qualquer coisa que possa ajudar o plataforma de mídia social gerar lucro.

A primeira parada: O plano de Musk para cobrar Usuários do Twitter $ 7,99 por uma marca de seleção azul em sua conta. O novo serviço recebeu críticas de vários usuários proeminentes do Twitter – ele já foi colocado em hiato, após algumas contas usou-o para representar marcas e pessoas proeminentes – mas as pessoas na plataforma estão claramente dispostas a pagar.

A pergunta chave é: quanto?

A resposta mais simples é que, com US$ 7,99 por assinante, cerca de 15 milhões de usuários pagantes gerariam os US$ 120 milhões em receita mensal que o Twitter precisa para cobrir suas perdas operacionais – US$ 344 milhões em um período recente de três meses, de acordo com seu relatório de julho. relatório de receita.

Mas em seu primeiro e-mail para todos os funcionários do Twitter, Musk disse que “cerca de metade” da receita do Twitter precisava vir de assinaturas para “sobreviver à próxima crise econômica”. CNBC informou na quinta-feira.

A outra metade pode vir da receita de anúncios, o que é especialmente difícil de prever em meio à multidão de empresas campanhas atualmente em hiato na plataforma de mídia social.

As projeções financeiras do Twitter também são complicadas por milhares de demissõese pacotes de lançamento de vários milhões de dólares para alguns executivos cessantes.

Ainda assim, o quadro geral parece claro: Musk depende de um grande número de pessoas para comprar assinaturas, possivelmente milhões.

Isso pode ser uma grande pergunta.

“Vai piorar antes de melhorar”

No final de outubro, Musk une forças e sinaliza um novo conselheiro do Twitter Jason Calacanis publicou uma pesquisa no Twitter perguntando quanto dinheiro, se houver, os usuários estariam dispostos a pagar “para serem verificados e obterem um carrapato azul no Twitter”.

Dos quase 2 milhões de usuários que responderam, 18,5% (quase 371.000 pessoas) disseram que pagariam pelo menos uma certa quantia por uma assinatura.

Mas a pesquisa não é necessariamente representativa de todos os usuários do Twitter. Daniel Ives, analista sênior de ações da Wedbush Securities, prevê um cenário ideal de 10% assinando um serviço de assinatura.

Isso pode equivaler a 23,78 milhões de contas: no Twitter relatório de ganhos de julho, a empresa disse que tem 237,8 milhões de usuários ativos diários monetizáveis. Mas isso só acontece se tudo der errado a favor de Musk, diz Ives.

O plano de assinatura é “um desastre absoluto”, disse ele à CNBC Make It. “Quando 240 milhões de usuários basicamente têm o Twitter de graça, é como se de repente você estivesse cobrando US$ 3 por pão em restaurantes que você comprou de graça nos últimos 10 anos.”

As mudanças de Elon Musk – na força de trabalho da empresa e na experiência de usar o próprio Twitter – também correm o risco de alienar usuários e parceiros de negócios.

Diversos usuários proeminentes do Twitter já deixaram a plataforma ou declararam sua intenção de fazê-lo, em vez de pagar para manter seus carrapatos azuis. Em alguns casos eles tentam concorrentes, como Discórdia ou Mastodonte. (O Twitter não respondeu imediatamente ao pedido de comentário da CNBC Make It.)

O maior obstáculo do Twitter para a lucratividade não será seu modelo de assinatura, diz Ives – ele convencerá os anunciantes a retornar à plataforma. As demissões da empresa provavelmente tornarão isso mais difícil “porque eles precisam de mais engenheiros, desenvolvedores e marketing para eventualmente impulsionar novas iniciativas”, acrescenta.

De qualquer forma, Ives oferece esta previsão: “Vai piorar antes de melhorar”.

Quer ganhar mais e trabalhar menos? Registro de graça CNBC Make It: seu evento virtual de dinheiro em 13 de dezembro às 12h ET para aprender com mestres do dinheiro como Kevin O’Leary como você pode aumentar seu poder de ganho.

Registrar agora: Seja mais inteligente sobre seu dinheiro e sua carreira com nossa newsletter semanal