“Eu era uma virgem de 14 anos”

A acusadora de Warren Beatty detalhou o suposto estupro que ela alega ter sofrido nas mãos da estrela de cinema – quatro anos antes de processá-lo.

Kristina Charlotte Hirsch — que apresentou sua queixa contra Beattyagora com 85 anos, no Tribunal Superior de Los Angeles na segunda-feira – postou um vídeo no YouTube em 2018 intitulado “DECLARAÇÃO ESTATUTÁRIA DE ESTUPRO DE WARREN BEATTY: Abuso sexual de crianças e adolescentes em Hollywood”.

No vídeo em estilo selfie, que Hirsch filmou ao ar livre, ela disse: “Em 1973 eu era uma virgem de 14 anos”.

Ela alegou que foi ‘trazida e apresentada’ ao ator – que teria cerca de 35 anos na época – no set de seu thriller dramático ‘The Parallax View’ com o ‘propósito de lenocínio sexual de um adulto’.

Hirsch alegou que ela estava “inconsciente” do que estava acontecendo na época, alegando que os dois “tiveram um relacionamento” da primavera de 1973 a janeiro de 1974 que ela acreditava ser “especial”.

Ela disse que agora percebe que foi “um crime que Beatty foi [allegedly] cometer violando [her]forçando [her] fazer sexo oral com ele, fazer sexo oral com [her]sodomizar [her] e emocionalmente prejudicial [her] por 44 anos. »

“Nosso tempo é o tempo de Deus, e nossa paciência é uma virtude”, disse ela. “Pela graça de Deus, pedimos a todos os predadores, pedófilos, hebefílicos e qualquer pessoa que não esteja bem que se arrependa e busque orientação”.

Na época em que seu vídeo foi feito, Hirsch disse que era uma ministra ordenada na Igreja Unitária e se apresentou como Pastora Tina St. Claire.

Ela terminou seu post pedindo a Anderson Cooper para entrevistá-la sobre suas alegações.

Em seu processo, Hirsch – que agora mora na Louisiana – acusou Beatty de “predação predatória” e a forçou a fazer sexo com ele quando era menor de idade.

Hirsch processou Beatty por “predação predatória” e a forçou a fazer sexo com ele quando era menor de idade.

Gala do 45º Prêmio Life Achievement do American Film Institute em homenagem a Diane Keaton - Backstage

Hirsch processou Beatty por “predação predatória” e a forçou a fazer sexo com ele quando era menor de idade.

Getty Images para Turner

Próximo

Hurley e Perry estrelaram a comédia romântica “Serving Sara” em 2002…

Em seu processo, que foi obtido pela Page Six na quarta-feira, ela alegou que a atriz vencedora do Oscar deu a ela “atenção indevida” quando se conheceram no set e que ele supostamente comentou “repetidamente sua aparência”, ligou para ela várias vezes, a trouxe com sua. dirigir, se ofereceu para ajudá-la com a lição de casa e a convidou para o hotel dele.

Ela também o acusou de falar repetidamente com ela “sobre perder a virgindade” e descreveu seu suposto comportamento como “opressivo, malicioso e desprezível, pois foi intencional e feito em desrespeito consciente [her] direitos e segurança”.

Hirsch busca um julgamento com júri e busca indenização por sofrimento psicológico, mental e emocional.

Os representantes de Beatty ainda não responderam aos inúmeros pedidos de comentários da Page Six.