Dustin Poirier admite que ‘é uma merda’ que ele nunca lutou com Nate Diaz, minimiza potencial quarta luta com Conor McGregor

Dustin Poirier passou sua carreira perseguindo títulos mundiais, então ele nunca se concentrou em apenas um oponente, embora houvesse pelo menos uma luta que ele queria, onde parecia improvável que ele conseguisse um dia.

Após sua partida contra Nate Diaz foi desfeito em 2018, Poirier continuou a perseguir essa luta. Mas, apesar de seus melhores esforços, a luta nunca se materializou.

Agora, Diaz está pronto para deixar o UFC na free agency depois de disputar seu último contrato, levantando dúvidas de que ele voltará a aparecer na promoção, quanto mais ver Poirier em pé no cage.

Embora não seja exatamente algo que o consuma, Poirier admite que gostaria que a luta contra Diaz tivesse acontecido antes de sua saída do UFC.

“Eu sempre quis lutar com Nate”, disse Poirier durante UFC 280 dia da mídia. “Tentamos fazer isso acontecer muitas vezes. Ele sempre desmaiava. É uma merda que ele se foi agora, e eu não terei a chance de lutar com ele. Mas é assim, o esporte continua.

Embora Diaz possa ser aquele que escapou, Poirier raramente escapa a perguntas sobre a possibilidade de enfrentar Conor McGregor novamente mesmo depois de duas vitórias sobre o ex-campeão de duas divisões do UFC.

Hoje em dia, McGregor ganhou peso enquanto filmava seu papel no próximo Retransmissão reiniciar. Não houve nenhum sinal de quando ele poderá competir novamente. McGregor também foi removido do programa antidoping do UFC, o que significa que ele terá que completar seis meses de testes de doping antes de poder marcar uma luta.

Dito isto, Poirier não parece realmente interessado em revivê-lo com McGregor. Ele já esteve lá antes, fez isso e tem objetivos diferentes no esporte do que perseguir outra luta com o superstar irlandês.

“Não tenho certeza”, disse Poirier sobre lutar contra McGregor novamente. “Neste esporte nunca se sabe. Não sei se ele vai voltar, em que categoria de peso, não sei. Nunca diga nunca, mas não é a mesma coisa em um futuro próximo. Vamos ver. Lutei três vezes, tentando obter o título.

Poirier deixou claro que seu único foco agora é sua próxima luta contra Michael Chandler em uma luta de estrelas em UFC 281 Sábado à noite.

Se tudo correr bem e ele for vitorioso, o peso leve de 33 anos espera que isso o coloque de volta na corrida para se tornar campeão novamente, onde seu caminho se abriu um pouco depois. Islam Makhachev derrotado Carlos Oliveira para reivindicar o título de 155 libras.

Poirier, que caiu para Oliveira em sua última luta, elogiou Makhachev pelo trabalho bem feito, embora não tenha sido o resultado que ele esperava.

“Fiquei surpreso”, disse Poirier sobre a vitória de Makhachev. “Eu não tinha um cachorro na luta, mas achei que Charles ia conseguir. Mas parabéns ao Islã, ele é o campeão mundial.

“[Islam is a] cara durão, em uma sequência. Parece que ele coloca tudo no lugar, que ele faz tudo bem. O que posso dizer de ruim sobre ele? »

Parece improvável que Poirier tenha uma chance contra Makhachev mesmo com uma vitória sobre Chandler, embora Oliveira não mais segurando o cinturão definitivamente o deixe um passo mais perto dessa oportunidade. Dito isso, ele sabe melhor do que ninguém que não existe linha reta para um título no UFC, e é por isso que ele não perde muito tempo tentando planejar o que vem a seguir.

“Nada é claro neste esporte, especialmente na divisão leve”, disse Poirier. “Mas [Islam Makhachev becoming champion] definitivamente abre portas. Há novas oportunidades, lutas diferentes fazem sentido agora, novos oponentes. Vamos ver. Nada disso importa até sábado à noite.

“Não tenho certeza [who’s next], independentemente do próximo concorrente. Eu não faço ideia. A paisagem está sempre mudando. Mas primeiro, eu tenho que levantar minha mão no sábado à noite.