Bottom Six Minutes: O que é interferência do goleiro?

o Montreal Canadá perdido para o Jatos Winnipeg Quinta-feira à noite, e certamente vai chocar a todos nesta comunidade saber que mais uma vez tenho um problema com a arbitragem. Pelo menos desta vez, estou trazendo alguma variedade, enquanto examino a questão persistente do que exatamente constitui a interferência do goleiro na Liga Nacional de Hóquei.

Vou mostrar dois exemplos de gols contestados da NHL, ambos envolvendo os Canadiens.

Para o Anexo A, só precisamos acertar o relógio para ontem à noite. Blake Wheeler fez o gol de empate apoiado fortemente em Samuel Montembeault, e após uma cobrança dos canadenses, foi confirmado como um bom gol.

A primeira coisa a reconhecer é que houve de fato um empurrão de Johnny Kovacevic antes do contato com Montembeault. O problema que tenho é usar isso para justificar o contato, porque houve muito tempo entre o empurrão e Wheeler levando Montembeault entre seu corpo e o poste.

O empurrão não tornou o contato inevitável, mas o contato afetou absolutamente a capacidade de Montembeault de fazer uma defesa. Ele já se virou para pegar o disco, com tempo de sobra para chegar lá se não tiver Wheeler sentado em cima dele.

Para a Tabela B, precisamos voltar o relógio para a temporada passada, especificamente 28 de dezembro de 2021. Ao contrário da Tabela A, o gol a seguir foi anulado por interferência do goleiro.

Aqui, o empurrão não só acontece antes do contato, mas leva Brendan Gallagher direto para o goleiro enquanto o disco ricocheteia na rede. Como no Anexo A, o contato certamente impactou a habilidade do goleiro de jogar o disco, mas neste caso Gallagher foi considerado culpado e o contato foi evitável.

Ambos os jogos terminaram hilariamente em derrotas na prorrogação para os Canadiens, mas qual é a diferença entre essas duas decisões quando se trata de interferência do goleiro?

Bem, para começar, um dos jogadores de pontuação é Brendan Gallagher, e se ele passar o menor gás na direção geral de um goleiro enquanto marca, os oficiais da NHL considerariam isso equivalente a dar o goleiro de duas mãos no pulso.

Rancores e preconceitos pessoais à parte, o maior problema é que eles parecem estar genuinamente inventando as regras à medida que avançam nessa frente. O Habs está longe de ser o único time a experimentar decisões tão enlouquecedoras, porque a consistência em toda a liga é inexistente.

Então, na melhor das hipóteses, suas avaliações são completamente aleatórias e, na pior, parecem estar enraizadas em preconceitos. No mínimo, a liga precisa eliminar o pênalti por um desafio perdido, porque isso é ruim o suficiente para gols sem sentido contarem sem ter que matar um pênalti menor logo depois.

Clique no botão play abaixo para ouvir todo o seu Bottom Six Minutes, também disponível na plataforma de podcast de sua escolha. Com a curta viagem terminada, voltaremos com outro episódio após o retorno dos Canadiens ao Bell Center no sábado contra o Cavaleiros de Ouro de Vegas.